sábado, 27 de outubro de 2007

Encontro, casual, com Luís Filipe Menezes



Encontro casual, esta tarde, com Luís Filipe Menezes. O abraço de parabéns que ainda não lhe tinha dado e meia hora de conversa de mangas arregaçadas. O populismo, a imprensa, Santana Lopes, as mudanças na direcção das comissões parlamentares, o próximo Conselho Nacional, o referendo ao Tratado de Lisboa. Menezes sabe bem qual é o caminho em cada um destes temas. No fim, já depois das despedidas, lembrou-se do Marco. Uma das expressões é irreproduzível. A outra, foi para recordar que no Marco não tinha ganho as directas. Limitei-me a encolher os ombros.
.

2 comentários:

Joao Monteiro Lima disse...

Amigo CR,
Este texto poderá levar muito boa gente a fazer mais um cenário. Aquela coisa da agenda
Abraço, e desculpe a provocação
JML

JM Coutinho Ribeiro disse...

Meu amigo, pode provocar sempre, que eu tenho sentido de humor :-)
Mas, realmente é como diz. Às tantas não devia ter escrito isto, porque deve haver por aí boa gente que deve estar a fazer muita especulação. Paciência. Faz-lhes bem.
abraço cr