sábado, 8 de dezembro de 2007

Ao cuidado do Dr. Monteiro da Rocha (e não só)

Caro Dr. Monteiro da Rocha:
Foi através do blog da nossa Colega Patricia Lousinha, de Vila Nova de Gaia, que tomei conhecimento da petição online pela revitalização da Linha do Douro que V. subscreveu. Subscrevi-a, também. A partir daí, tomei a liberdade de criticar as figuras públicas com actividade política no Marco que se apressaram a achar importante o combóio entre Pocinho e Barca d'Álva e omitiram o problema do Centro de Saúde de Soalhães.
É óbvio que eu sabia que, ao manifestar a minha indignação pelo critério, estava a prejudicar a petição de Soalhães, porque dificilmente haveria quem, sentindo-se visado, viesse a assinar a petição que este blog lançou.
Reparo, hoje, que V. é o 43º subscritor da petição deste blog. Como calculará, não vejo neste gesto um acaso. Sei - disse-me várias vezes - que vai olhando para aquilo que escrevo com alguma regularidade, pelo que ouso admitir que a subscreveu depois de ler as minhas palavras um bocadinho ácidas. Ao contrário do que alguns possam pensar, congratulo-me e aplaudo o seu gesto, pelo que revela de grande dignidade.
Aceite os meus melhores cumprimentos - cr
.
PS: Eu sou utente do Centro de Saúde de Soalhães, ainda que (felizmente) não praticante, pelo que o meu interesse no assunto é relativo: se as coisas correrem mal, lamento pelas pessoas que são praticantes, que eu, por cá, vou indo, graças a Deus.
Mas registo várias coisas: registo que há pessoas que nem por uma causa destas são capazes de assinar, que há pessoas que nem por uma causa destas são capazes de abdicar do anonimato, que há pessoas que acham que não devem assinar porque devem ver o assunto com desconfiança, que há pessoas que deviam estar a recolher assinaturas em suporte de papel e não o fazem.
Mas há mais: mesmo as pessoas que pugnam pelo assunto podiam fazer mais um bocadinho: num fim-de-semana em Soalhães, perguntei aos meus pais e ao meu irmão se queriam subscrever a petição. Claro que queriam. Eu próprio lhes pedi o BI e resolvi a questão.

.

2 comentários:

G.R. disse...

Concordo consigo. No que me toca, no inicio da petição, recolhi assinaturas para lançar na mesma. Consegui, entre amigos, familiares e colegas de trabalho, umas vinte e tal. Tentei, pessoalmente ou por mail, infelizmente com pouco sucesso, convencer outros a também aderirem à petição. Eu sei que é pouco e que deveria, se calhar teria mesmo a obrigação, ter feito mais. De momento, estou a tentar recolher mais algumas assinaturas para posteriormente lançar no site da petição.
Abraço!

JM Coutinho Ribeiro disse...

Pois é, GR, e somos nós que andamos preocupados com o assunto. Os que menos precisam.
Às tantas, até haverá quem ache que ganhamos alguma coisa com isto! A sorte é que nenhum de nós é médico. Ainda iriam pensar que estamos a bater-nos ao lugar... :-)
Abraço também para si