quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Prognósticos antes do fim do jogo (9)

Manuel Moreira
.
Não ouvi a entrevista de Manuel Moreira à Rádio Marcoense de que em postal abaixo se dá conta. Do que leio, resulta que o presidente da Câmara terá dito mais ou menos isto, quando confrontado com a sua eventual recandidatura: Se o meu partido me convidar, serei candidato, porque não sou de virar as costas à luta, nem de deixar projectos a meio.
Houve quem visse nestas palavras de MM um sinal dubitativo e quem pressentisse nelas a vontade de não ser candidato. É o caso de João Monteiro Lima. Não concordo, caríssimo. Do que conheço de Manuel Moreira, esta é a sua forma de ser afirmativo e de dizer que será candidato, a não ser que o PSD não o deixe.
Manuel Moreira é - sempre foi - um homem de partido e é nesta base que devem ser lidas as suas palavras.
Confesso que gostava de ver Manuel Moreira menos dependente do partido e mais dependente do resto: de não virar as costas à luta e de não deixar projectos a meio, mesmo que contra a vontade do partido. Mas as pessoas são o que são e ninguém tem o direito de achar que outros devem agir como cada um de nós agiria nas mesmas circunstâncias.
Das palavras do edil, retiro, por isso, motivos para ficar sossegado. Caso o PSD não o impeça - e certamente não impedirá -, ele será candidato em 2009, sejam quem forem os adversários, sejam quais forem as condições. O que nos dá uma outra garantia: porque quer ser reeleito, vai esforçar-se por merecer. O que significa que vai fazer o melhor que sabe e que vai aproveitar o resto do mandato para fazer coisas boas para o Marco. E isso é que é o mais importante.
.

2 comentários:

Joao Monteiro Lima disse...

MLCarissimo,
No espaço de cerca de um mês, o actual presidente da CM, disse que iria avaliar se seria ou não candidato e mais recentemente que o será se o partido o convidar. Uma das leituras possíveis para estas "hesitações" é que Manuel Moreira, após a tal avaliação, poderá (por um qualquer motivo) não querer ser candidato, mesmo que a vontade do PSD seja diferente. E se assim for?
Não sei se será correcta esta leitura, mas como já disse num outro comentário, se fosse Presidente da CM e estivesse seguro quanto ao trabalho desenvolvido (e entendesse que deveria continuar com o projecto), não hesitaria um segundo a dizer que seria novamente candidato, e não seria o facto de contar ou não com o apoio do meu partido, que me demoveria do meu propósito.
Entendo que esta hesitação (não saber se o projecto iniciado é ou não para ser continuado) será prejudicial, mesmo estando no poder.
Abraço,

JM Coutinho Ribeiro disse...

João: eu percebo a sua leitura e acho que, nas mesmas condições, tenderia a fazer coisa parecida com aquela que diz que faria. Mas as pessoas não são todas iguais. E é neste contexto que leio o contrário do V. lê na postura do presidente da Câmara.
Abraço cr