segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Prognósticos antes do fim do jogo (7)

Coligações? Não estou a ver...
.
Questiona-me em comentário abaixo João Monteiro Lima se eu tenho alguma informação sobre uma eventual coligação nas eleições autárquicas no Marco em 2009. Não sei de nada. Mas, como é evidente, esse é um cenário admissível. Só que não sei como.
Entre o PS e a CDU parece-me pouco plausível. Creio que nenhuma das duas forças teria muito a ganhar com um cenário dessas. E muito menos o PS que, desta forma, poderia perder uma boa parte do seu eleitorado tradicional do centro-esquerda.
Uma coligação entre o PSD e o CDS? Seria contra-natura, embora, provavelmente, fosse do agrado de sectores determinados das bases de apoio de ambos os partidos localmente. E até de alguma figuras mais conhecidas. Entendo, porém, que esse seria um passo atrás na vida política do concelho.
Poderá o PSD vir a absorver o grupo de Norberto Soares, afastada que seja a sua ligação ao CDS? Creio que tal só poderá acontecer num cenário de grandes dificuldades para o PSD e no caso de o CDS apresentar uma candidatura ganhadora. Neste caso, levar Norberto poderia criar algumas divisões nos que sempre votaram nos centristas.
Resta uma hipótese. Se olharmos bem para o assunto, vemos que ele foi lançado por Bruno Caetano, que é um militante socialista próximo de Artur Melo. Logo, a sugestão pode ser apenas uma "alfinetada" - com piada, reconheça-se - no grupo da oposição interna, acusado de manter uma oposição demasiado macia (há quem fale mesmo em cumplicidade...) em relação à maioria do PSD. Será isto o que BC sugere?
.

9 comentários:

Joao Monteiro Lima disse...

Caro Coutinho Ribeiro,
Não acho que uma coligação entre o Partido Socialista e o PCP não fosse boa para os dois. Se houvesse uma coligação, o Partido Socialista, e em particular os seus apoiantes, teriam muito a ganhar.
E havendo à direita uma coligação à direita a junção dos votos do lado esquerdo, com os votos dos que são contra da coligação PSD/CDS, mais sentido faria haver uma união à esquerda.
Nunca entendi porque que em Lisboa era possível haver um entendimento entre Partido Socialista e PCP, mas no resto do País tal não era possível (sempre me pareceu que os supremos interesses partidários (leia-se, mandar nos destinos da capital)se sobrepunham aos interesses e vontades das pessoas dos outros concelhos.
Tenho uma ideia do que entendo que poderia ser uma coligação entre o PCP e o Partido Socialista no concelho do Marco, mas como me obrigaria a escrever um post extenso(talvez um dia eescreva), não a desenvolvo mutio mais. E também porque tenho que repensar alguns dos termos em que poderia assentar uma eventual coligação, pois dadas as recentes saídas ( umas por vontade própria outras nem por isso) de alguns militantes/ simpatizantes do Partido Socialista, em determinadas freguesias já não se sabe muito bem qual o "peso" do Partido Socialista.
Concordo, no entanto, que tal coligação Partido Socialista-PCP não se fará, por dois motivos: o primeiro a indisponibilidades das duas direcções nacionais não se entenderem e o segundo motivo, o facto de, com a proximidade das eleições, haver (pelos foi o que aconteceu até às últimas eleições) da parte da direcção local do Partido Socialista (espero bem que estar enganado e que a actual não caia nos mesmos erros) um deslumbramento com a possibilidade de ganhar as eleições, que os fazem esquecer elementares regras da democracia, impedindo não só um entendimento pré ou pós eleitoral, mas também um diálogo (sério) entre as pessoas que têm opiniões diferentes.
Já agora CR, não sei se o BC será assim tão próximo de AMC.

Bruno Caetano disse...

Caro Coutinho Ribeiro, vou começar por lhe fazer uma pequena correcção, não sou um militante próximo de Artur Melo, mas sim um militante próximo do PS Marco e como Artur Melo é o meu presidente estarei sempre próximo dele enquanto ele for o meu presidente, para mim politica não se mistura com amizade.

Agora voltando à coligação, gostei da sua análise, mas penso que ainda não descartou podas as possibilidades de coligação.
Não quero me alongar mais nestes meus prognósticos para 2009, mas se acha que é apenas alfinetadas, o tempo logo o dirá.

JaimeFTeixeira disse...

Assim fala quem sabe alguma coisa de política...
É só ver as diferenças...

Eng. Manuel Vieira disse...

Sr. Dr. Coutinho Ribeiro;
Não tenho o prazer de o conhecer pessoalmente, mas segundo o que tenho ouvido o Senhor é um advogado e jornalista brilhante.
Acho muito bem que se deva preocupar com as coligações; mas não acha mais interessante comentar o que os autarcas fizeram neste dois anos de poder depois das promessas feitas?
E agora vou lhe aqui relembrar o que prometeram para nossa freguesia:
1ª-Um médico para Soalhães e uma unidade móvel de Saúde.
A onde esta? Alguém a viu? Deve estar camuflada e os médicos fugiram ou deveram estar escondidos dentro da unidade móvel.
2ª-A escola EB 2/3 pública seria uma realidade a curto prazo.
A resposta a essa pergunta deve ser não há crianças em Soalhães. Mas á dois anos haveriam? Ah! Já sei agora com o novo processo de Bolonha as crianças já nascem doutoras.
3ª-Parque desportivo e ambiental.
Alguém viu isso? Ah! Já sei onde esta. Deve ser na serra da Aboboreira a beira dos pastores. Ah! Esqueci-me, temos um parque eólico.
4º-Recuperaçao dos moinhos e limpeza e sinalização de caminhos antigos e criação dos circuitos pedestres.
Os moinhos estão a trabalhar perfeitamente a água. A água passa e os moinhos não funcionam.
Os caminhos continuam limpos com giestas e silvas só passam os coelhos e as raposas e os caçadores mais aventureiros . Já sei as promessas deveriam ser aventuras radicais nos caminhos de Soalhães .Nem tão pouco se preocuparam com a limpeza do centro da freguesia, nomeadamente da rotunda e das bermas das estradas.
Realmente foi um bonito postal ilustrado que a freguesia mostrou no passado dia 1/11/2007 as centenas de visitantes que ocorreram à nossa terra.
E fico por aqui para uma próxima intervenção.
Sr. Dr. não acha que as prioridades deveriam ser essas? Está a falar ao gosto dos Políticos, que nos entretêm com comentários dos prognósticos para 2009.

Com os meus cumprimentos do Eng. Manuel Vieira

JM Coutinho Ribeiro disse...

Mais logo tento responder.

JM Coutinho Ribeiro disse...

João: já uma vez conversámos sobre isto, com Artur Melo presente, aliás. Matenho a mesma opinião. Há uma diferença substancial entre o povo de esquerda dos grandes centros e o dos concelhos mais a interior. Mas admito estar enganado.

Bruno Caetano não é muito próximo de Artur Melo? Lapso meu! Não sei por quê, mas achei que era. Peço desculpa, não foi intencional a identificação. De qualquer modo, BC mostra boa postura ao dizer o que diz quanto a essa matéria.
Já quanto à coligação que sugere, realmente, não sendo a tal "alfinetada", já não sei mais que coligação possa ser. Pelo menos uma coligação que possa ter expressão eleitoral.

Jaime: não lhe posso responder, porque não percebi o que quer dizer :-)

Caro Eng. Manuel Vieira:
Também não tenho o prazer de o conhecer e agradeço os elogios, apesar de serem exagerados. Limito-me a fazer pela vida.
Quanto à substância do seu comentário direi o seguinte:

1. acredite que não é fácil escrever num blog local quando não se vive nesse local, como é o meu caso. Não ando pelos cafés, não tenho actividade associativa de qualquer natureza, não estou envolvido na política activa. Se vivesse em Soalhães, saberia, por certo, identificar melhor os problemas concretos. E se estivesse envolvido na vida local de uma forma activa, creia que saberia bem como ser exigente. Mas não estou.
Por isso, de cada vez que entro nas questões concretas, faço-o sempre com muita cautela e sempre de forma a tentar dar sugestões. Se ler o que já por aqui escrevi, verá que me farto de o fazer.
2. é claro que todos devemos apontar as promessas dos políticos que não foram, não são e não serão cumpridas. Mas, que diabo!, essa é uma obrigação que não recai sobre mim de forma especial. Já por aqui disse, pelo menos uma vez, que está na hora das oposições virem a terreiro cobrar essas promesas não cumpridas. Tanto quanto me diz o Dr. Nuno Pinto já foram feitos vários convites, mas o retorno não existe.
3. por tudo quanto atrás digo, resta-me andar no domínio da política pura. E não é puro entretenimento: esta discussão sobre candidaturas e eventuais coligações parece-me importante. Afinal, se bem pensar, é a primeira vez que, de forma mais ou menos generalizada, esta questão se discute com tempo. Os aparelhos partidários precisam de saber que as suas decisões são escrutinadas pelos eleitores a priori e não só no dia das eleições. É assim que eu vejo esta discussão. E uma discussão em que me sinto absolutamente livre.

Cumprimentos para todos
cr

JaimeFTeixeira disse...

Estava a referir-me à diferença entre o BC e os outros.

JM Coutinho Ribeiro disse...

ok, Jaime: o BC sabe e eu não. Já cá não está quem falou :-)

JaimeFTeixeira disse...

Estava a referir-me à diferença entre o BC e alguns colegas de partido.